ATC este ano celebrando os seus 30 anos de existência, desenhou, construiu e instalou, um surpreendente sistema de PA no famosíssimo Walt Disney Concert Hall em Los Angeles, agora a nova sala da orquestra sinfónica de Los Angeles.

Construída em 2003, o complexo Walt Disney Concert Hall com um custo de 250 milhões de euros, desenhado por Frank Gehry, projecto financiado em larga escala por Lillian Disney e sua família em memoria do seu marido Walt.

A sala com 2265 lugares desenhada na tradição das grandes salas europeias em madeira, tem o palco rodeado pela audiência pelos 4 lados.

Considerada como uma das melhores salas de concertos do mundo, a acústica ficou a cargo de Yasuhisa Toyota da Nagata Acoustics do Japão. Muitas das superfícies reflectoras na parede são feitas de madeira de pinheiro manso incluindo o tecto com aspecto de velas de barcos, que contribuem para um som natural de excepcional clareza.

No entanto, os problemas apareceram com o sistema de PA inicialmente instalado na gala de abertura em Outubro de 2003, quando muitas pessoas na audiência tiveram dificuldade em perceber o que os anfitriões Tom Hanks e Catherine Zeta Jones diziam. O grande Pianista Keith Jarrett deu o primeiro recital jazz na sala em Novembro de 2003. Ele comentou “que era como estar numa malga gigante, com o som a andar a volta mas nunca se conseguindo um ponto focal”.

Em resposta a este problema, uma comissão foi criada constituída por Fred Vogler, sound designer independente; Gail Sam uel , director geral da orquestra filarmónica de Los Angeles; Chris Christel, empresa operadora de som do complexo; Paul Geller, director de produção; e Kevin Wapner, responsável por áudio / vídeo. As recomendações da comissão incluíam a aplicação de cortinas e a reconfiguração do PA existente.

Com vista a uma solução mais radical, Vogler falou com Yasuhisa Toyota e o seu amigo de longa data Billy Woodman, fundador e designer principal da ATC. Só por curiosidade, Vogler experimentou um par de SCM50ASL PRÓ do seu estúdio “eu uso colunas ATC à anos, por isso estava bem ciente das suas características…”

O 1º comentário depois de ouvirem as ATC foi “wow”, Vogler continuou dizendo que a musica fora verdadeiramente reforçada e não soava artificial.

Mundialmente famosas pela sua dispersão e ultra baixa distorção, as multi galardoadas SCM50 foram desenhadas para estúdios e salas até 150m2 incrivelmente estavam a ser analisadas numa sala de concertos de 88.000m2.

Com aconselhamento de Billy Woodman, ATC forneceu 3 pares de SCM150 estas foram colocadas em ambos os lados do palco e de maneira que o som fosse distribuído igualmente por toda a área da sala.

As SCM150 foram a escolha definitiva de Vogler “agora temos um som muito mais compreensivo com muitos mais componentes musicais na mistura final, projectado naturalmente e dispersamente através da sala”.

Com estes resultados, a equipe da ATC constituída por Woodman, Bob Polley e Ben Lilly decidiram desenhar um sistema que usaria a acústica natural da sala da mesma forma que um instrumento. Como Woodman diz ”a sala foi desenhada com a fonte de sinal sendo no palco, por isso é essencial que o sistema esteja colocado lá também”.

Diz Polley “era essencial que ATC resolvesse os problemas de amplificação da sala. Isso acredito que tenhamos conseguido através do correcto alinhamento dos nossos altifalantes. São fabricados para muito baixas tolerâncias com o mesmo tipo de especificações da industria aeronáutica. Aqui não há condições para os típicos sistemas de PA com a sua distorção inerente…”.

O sistema completo constituído por 2 canais agora instalado no Walt Disney Concert Hall, é constituído por 2 sistemas de colunas construídas de propósito para a sala. Cada sistema utilizando 17 altifalantes idênticos aos usados nas SCM150, as mesmas usadas no programa experimental mais amplificadores de potencia ATC. Cada coluna é constituída por uma estrutura cúbica com 1,40m de altura, 1m de largura, 1,25m de profundidade com um volume de 1200litros dividido em 8 secções de 150litros, cada uma contendo um altifalante de graves Super Linear da ATC de 375mm (15”). Dentro da estrutura cúbica, 4 altifalantes de 15” estão posicionadas para a frente e 4 posicionados para trás, dos quais 2 cobrem a audiência traseira e 2 a audiência lateral. Na frente um par cobre a audiência mais próxima e o outro par cobre a audiência mais afastada na sala.

     Projectando o som mais acima das estruturas cúbicas, montadas num poste ajustável de aço inoxidável encontram-se 3 caixas de formas curvilíneas onde se encontram os altifalantes de medias e altas frequências.

Estes reflectem o conceito do desenho do órgão gigante no Walt Disney Hall localizado mais atrás no palco.

Uma abordagem que contou com a pronta aprovação pela comissão.

Das 3 colunas de médios / agudos a maior apontada para a frente tem 3 unidades de médios, mundialmente famosos, de cúpula macia com tecnologia super linear da ATC. Desenhados por Billy Woodman, que é também um consagrado pianista de jazz, estas unidades de médios extremamente lineares reproduzem, com enorme precisão e potencia, as criticas frequências medias que contem as notas fundamentais da maior parte dos instrumentos. Ainda há mais duas unidades de agudos de 1” especialmente seleccionados e cada um capaz duma resposta linear até aos 25.000Hz, afim de reproduzir as notas musicais mais agudas a certas nuances. Estas 5 unidades estão dispostas verticalmente numa caixa curvilínea para assegurar uma grande dispersão desde a frente para a audiência mais próxima assim como até a audiência mais afastada.

Ainda no mesmo poste e direccionadas para o lado e para trás encontram-se mais 2 estruturas semelhantes, mas menores, com ângulos especialmente pensados para as audiências laterais e traseiras. Cada uma destas peças inclui 1 tweeter e 1 médio. A altura total do sistema é de 2,21m. cada um dos sistemas é alimentado por 4 amplificadores ATC P4. são 275W de potencia sem distorção para cada woofer, 200W para cada unidade de médios e 100W para cada Tweeter. São 3400W para cada um dos lados do sistema.

Cada um dos lados é capaz dum SPL de 127db com os seus parâmetros de baixíssima distorção. Esta pressão sonora, se alguma vez necessária, é igual à da orquestra filarmónica de Los Angeles a tocar a níveis de crescendo. O nível de grave a 16Hz é igual ao de órgão de tubos de 9,1m. estes magníficos altifalantes reproduzem precisamente as notas fundamentais de um contra fagote, harpa e contrabaixo que reproduzem as notas mais graves duma orquestra.

Cada estrutura de graves é construída numa fibra de alta densidade a qual é fortemente travada e com acabamentos interiores de absorção acústica e grandes quantidades de lã acrílica. A estrutura de graves é folheada a pinheiro manso claro, parecido com a madeira originalmente usada em todo o auditório.

As estruturas verticais em cima são feitas de pinheiro manso. O acabamento acetinado combinam com os acabamentos celulosos originalmente usados nos revestimentos da sala. A estrutura de graves e as 3 unidades verticais estão cobertas com uma malha acusticamente transparente.

Esta atenção ao detalhe por parte da ATC deu uma combinação perfeita a nível acústico, musical e estético.

Cada uma das estruturas pesa 410Kg.

Tal é a precisão e a larga dispersão sonora deste sistema ATC, que qualquer que seja a fonte sonora, pode ser reproduzida sem equalizações ou filtros. Deste modo todas as nuances e subtilezas da musica são correctamente projectadas para a audiência em todas as partes da sala e a níveis ditados pela performance dos artistas.

As colunas ATC são usadas na maior parte de estúdios cinematográficos espalhados pelo mundo incluído Todd AO, Paramount, Warner Bros. Muitos estúdios de gravação as usam também como sony music studios NY, Pink Floyd’s studios, Air Studios, Lansdowne recording studios.

O recente lançamento pela Sony Music em super áudio cd multicanal do Dark Side of the Moon foi misturado e mais tarde demonstrado por todo o mundo com sistema 5.1 baseado em SCM 150 da ATC, o mesmo modelo que serviu de base ao desenvolvimento do sistema de sonorização do Wat Disney concert hall.

Bob Polley diz “ som amplificado em salas muito reverberantes é um problema geral . Com o sucesso desta aventura, ATC pretende disponibilizar a sua perícia e experiência para salas de espectáculos por todo o mundo”.